Entre no Jusbrasil para imprimir conteúdo de Decisões

Imprima Decisões de vários Tribunais em um só lugar

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

jusbrasil.com.br
22 de Maio de 2018

Intolerância religiosa é a própria contradição

Lucas Grahl de Liz, Estudante de Direito
Publicado por Lucas Grahl de Liz
há 4 meses

No dia 2 de fevereiro é comemorado o dia de Iemanjá. Ou, se preferir, o dia de Nossa Senhora dos Navegantes. A homenagem a “Rainha do mar” acontece anualmente e é realizada, em sua maioria, por pessoas que seguem as religiões de matriz africana, como a Umbanda e o Candomblé.

Em Balneário Camboriú parece que a festividade não irá ocorrer. Os organizadores afirmam que não receberam o apoio da Prefeitura Municipal. O evento tradicionalmente há 39 anos acontecia na cidade e recebia milhares de pessoas de toda a região, de outros estados e até de outros países. Supostamente, tal atitude foi motivada por preconceito religioso, já que o Prefeito Municipal é Evangélico. A assessoria Municipal nega qualquer preconceito. Do outro lado, a Prefeitura de Balneário em nota afirma não ter sido procurada pela parte organizadora, afirma que sempre esteve à disposição e que o evento não irá ocorrer por opção do grupo religioso.

Bom, quem está com a razão nessa história eu não sei. Minha intenção aqui é outra. Busco somente ilustrar este breve texto e refletir sobre a intolerância religiosa que ronda a nossa sociedade.

Não tão distante, no Rio de Janeiro, ocorreu o caso da menina carioca de 11 anos que levou uma pedrada na cabeça após ser vítima de um ato de intolerância religiosa, após sair de um culto de candomblé acompanhada de um grupo de pessoas com roupas típicas da religião.

Pois bem. Os acontecimentos que cito trazem ao debate algo que deve ser fortemente repugnado e combatido. Que é a intolerância, o preconceito! Não trago aqui um discurso garantista. Trago sim, um discurso de consciência!

O fato da menina carioca foi registrado como lesão corporal e capitulado no artigo 20 da Lei 7.716/89, que engloba a prática, indução ou incitação à discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional.

A Constituição Federal protege os direitos do indivíduo, sobretudo os relacionados à liberdade de pensamento e de expressão, portanto, de consciência, de crença e de culto. Temos também a Lei 12.966/14, que expressamente cuida da proteção à honra e à dignidade de grupos raciais, étnicos ou religiosos.

A poesia de Anamari que viralizou na internet ilustra o tema e sintetiza um pouco do que penso:

“(...) Intolerância religiosa é a própria contradição. Religião vem do latim religare que significa união. Então pare de dividir o mundo entre os que vão e os que não vão para o paraíso. O nosso mundo tá doente em tudo. Enquanto nós perdemos tempo brigando por isso. Ao invés de dividir as religiões entre as que são do mal e as que são do bem. Que tal botar sua ideologia no bolso e ajudar aquele moço que de frio morre na rua desamparado e sem ninguém?”.

Dentro do nosso mundo jurídico temos ferramentas e disposições acerca da preservação e a garantia de muitos direito fundamentais, como a liberdade intelectual, civil e religiosa! Nossa lei maior veda a descriminação de qualquer indivíduo. Podendo, também, ter como consequência, a depender do caso, a indenização por dano material, moral ou à imagem. Logo, as escolhas pessoais e os direitos de cada indivíduo devem ser respeitados!

Axé para quem é de axé, amém para quem é de amém!

22 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

O nível intelectual do povo brasileiro está cada vez mais baixo. O nível de carência está cada vez mais alto. A intolerância religiosa vem da ignorância generalizada. A religião é campo fértil para toda sorte de embusteiros, loucos e criminosos de todas as cores. Todos eles encontrarão adeptos fanáticos com a maior facilidade. A ignorância mais perversa é o denominador comum de todos, facilitando muito a manifestação de intolerância. Muitas religiões não têm fieis seguidores: têm torcida organizada. Um perigo para todos nós. continuar lendo

A Bíblia trata a respeito da feitiçaria ao posicionar-se contra todo e qualquer tipo de manifestação espiritualista (feitiçaria, macumba, candomblé, umbanda, espiritismo kardecismo, necromancia, parapsicologia, hipnose). As Escrituras condenam as práticas espiritualistas de tal modo que afirmam que todos aqueles que continuarem praticando-as ficarão fora do reino dos céus (Apocalipse 22:15) e serão castigados no lago de fogo e enxofre ao final do milênio (Apocalipse 21:8). Isto porque, segundo a Palavra do Senhor, tais práticas não condizem com a verdade revelada de Deus acerca do estado dos mortos (ver Salmo 6:5; 13:3, 115:17; Eclesiastes 9:5, 6 e 10; João 14:1-4; 1 Tessalonicenses 4:13) e serem de origem diabólica e demoníaca (cf. Apocalipse 16:14; 2 Coríntios 11:11-14; 2 Tessalonicenses 2:9-10). continuar lendo

O mesmo se diga da atividade política: campo fértil para toda sorte de embusteiros, loucos e criminosos de todas as cores. continuar lendo

Exatamente. Se acha que outras religiões não são boas? Sem problemas. Entende que outra fé não os levará à Deus? Tudo bem. Mas agredir? Aí é demais.

A intolerância pratica por cristãos me soa mais grave que vinda de um ateu. Cristo - que é quem os cristãos seguem, tem por líder e exemplo e PRINCIPALMENTE de onde deriva o nome Cristão - viveu rigorosamente o que ensinou: amar o próximo. O maior exemplo de que vivia o que pregava foi dado ao ser crucificado, morreu dizendo "pai, perdoai-vos". continuar lendo

"A intolerância pratica por cristãos me soa mais grave que vinda de um ateu."

Adoraria que tu me indicasse uma intolerância praticada por ateus

No aguardo

Obs.: Provar que deus não existe e que se usa religião pra praticar o mau não é intolerância, tá ? continuar lendo

Fui conferir a matéria no Google para ver se era fake news. O fato ocorreu, mas o relato dado pela avó da menina não permite ligar os dois homens que insultavam as pessoas ao exercício da fé cristã.

Está havendo uma generalização indevida nesse caso. Dois sujeitos que ninguém sabe quem são, não se sabe se são militantes de esquerda, muçulmanos, ateus ou de fato cristãos, não representam a totalidade dos cristãos no Brasil e no mundo.

A prática de fazer o mal e botar a culpa nos outros é antiga. Nos tempos da ditadura era comum tanto a esquerda quanto os militares radicais explodir bombas em locais por onde passavam civis e culpar o outro lado. continuar lendo

Ótimo artigo! Concordo com tudo o que foi dito, mas uma pequena correção:

"No dia 2 de fevereiro é comemorado o dia de Iemanjá. Ou, se preferir, o dia de Nossa Senhora dos Navegantes. A homenagem a “Rainha do mar” acontece anualmente e é realizada, em sua maioria, por pessoas que seguem as religiões de matriz africana, como a Umbanda e o Candomblé."

Iemanjá e Nossa Senhora não são a mesma pessoa, portanto essa expressão "ou, se preferir, ..." está empregada de forma errada! Iemanjá é uma figura proveniente das religiões africanas e Nossa Senhora faz parte do cristianismo, da Bíblia e etc. Confundir as duas, apesar de comum, é errado.

No mais, parabéns pelo artigo e é isso aí, respeitar e unir! continuar lendo

Errado, no Brasil, Nossa Senhora Dos Navegantes, foi atribuída pelo sincretismo religioso a Iemanjá, por isso ambos se comemoram no dia 2 de fevereiro...
Quem é da Umbanda, pode se dirigir a Nossa Senhora dos Navegantes ou a Iemanjá, haja vista o sincretismo, portanto, correta a expressão do texto... continuar lendo

Exatamente. Danilo. Iemanjá e Nossa Senhora não são a mesma pessoa. É absurdo relacioná-las. Quem crêm em uma, não crê em outra. continuar lendo

Vale uma correção sobre a correção. Isso se chama sincretismo religioso que, inclusive foi objeto de estudos pela Igreja Católica há muito tempo. Portanto, com todo o respeito, não há erro em promover sincretismo, pois, isso significa iniciar um processo de tolerância. continuar lendo

Nada errado. Aqui no Brasil, Iemanjá e Nossa Senhora dos Navegantes são a mesma, q continuar lendo

Não tem nada errado. Aqui no Brasil, Iemanjá e Nossa Senhora dos navegantes são a mesma entidade. Muita gente pode não concordar, mas é um fato, e muito mais gente crê nessa entidade, não precisando da concordância dos demais. continuar lendo

Vejamos o que fala a Bíblia (Matheus, 3-4):

“Então Jesus foi levado pelo espírito para o deserto, para ser tentado pelo diabo.

– Se és filho de Deus, manda que estas pedras se transformem em pães.

– Não só de pão vive o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus.

– Se és filho de Deus atira-te para baixo, porque está escrito:

Ele dará ordem a seus anjos a teu respeito, e eles te tomarão pelas mãos, para que não tropeces em nenhuma pedra.

– Também está escrito: Não tentarás o Senhor teu Deus.

Mostrando todos os reinos do mundo, fala o tentador:

– Tudo isto te darei, se, prostrado, me adorares.

– Vai-te Satanás, porque está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás e só a ele prestarás culto”. continuar lendo

Bom, como católica, apostólica, romana, ortodoxa, faço parte dos católicos q não consideram a mesma coisa. Nossa Senhora é a mãe de Jesus, em nossa religião e não se mistura às entidades de outras denominações. Iemanjá é própria da religião de quem acredita nela, não sei a q designação pertence, mas jamais, associaremos à Nossa Senhora da Igreja Católica. De resto, acho q cada qual é livre para crer ou não crer no q quiser. continuar lendo

Perfeito! continuar lendo